Andropausa: isso existe?

Cansaço, tristeza, irritabilidade, falta de desejo sexual. Muitos homens sofrem com esses sintomas a partir dos 40 anos, mas acreditam que são normais e que estão relacionados ao envelhecimento. Os sinais, entretanto, podem indicar um problema mais grave: o distúrbio androgênico do envelhecimento masculino (DAEM), também chamado de hipogonadismo ou popularmente como “andropausa”, doença que atinge cerca de 20% dos homens acima dos 60 anos.

Além do impacto na qualidade de vida, a diminuição dos níveis de testosterona – responsável por controlar as funções sexuais (como libido, potência e fertilidade) e preservar a aparência e a saúde do organismo masculino – pode causar complicações como obesidade, diabete, osteoporose, hipertensão e doenças cardiovasculares.

“Pesquisas comprovam que a diminuição de testosterona está associada, em muitos casos, à síndrome metabólica, caracterizada pelo aumento da circunferência abdominal e pela associação de fatores de risco para doenças cardiovasculares”, explicou o especialista em endocrinologia e andrologia Michael Zitzmann, pesquisador do Centro de Medicina Repro­dutiva e Andrologia de Münster, na Alemanha, durante o Congresso Europeu de Urologia, que ocorreu entre os dias 16 e 20 de abril na cidade de Barcelona, na Espanha. “Homens com a síndrome são cerca de três vezes mais propensos a desenvolver hipogonadismo. É um ciclo vicioso. A síndrome metabólica tanto pode causar quanto pode ser causada por deficiência de hormônio.”

A síndrome aumenta o risco de mortalidade em cerca de duas vezes e de desenvolvimento das doenças cardíacas em três. Aproximadamente 25% da população adulta sofre com o transtorno. Uma dieta equilibrada e a prática regular de exercícios físicos podem amenizar as complicações. Mas, quando se comprova a deficiência de testosterona, a solução para combater todos esses males, segundo os especialistas, é a reposição do hormônio.

Atualmente existem disponíveis no mercado os chamados hormônios bioidenticos, que podem.ser utilizados no tratamento da síndrome em pacientes que passam por avaliação especializada e não apresentam riscos de saúde que poderiam ser complicados com o uso da medicação. Existem opções injetáveis, de uso oral e até em forma de cremes que são aplicados na pele.

Vários estudos indicam que o hipogonadismo é frequentemente mal diagnosticado e tratado inadequadamente, já que os sintomas podem ser atribuídos ao envelhecimento ou a outras doenças. “Menos de 1% dos homens diagnosticados com DAEM recebe tratamento adequado. A falta de informação sobre a doença, tanto entre pacientes quanto entre os próprios médicos, afeta significativamente a qualidade de vida do sexo masculino”, lembrou Sieg­­fried Meryn, professor da Uni­­versidade Médica de Viena, na Áustria, e presidente da Sociedade Internacional de Saúde Masculina.

Andropausa e seus sinais.

E respondendo ao questionamento feito no instagram, reposição hormonal e utilizada para tratar uma andropausa disfunctional, muito sintomática, melhora o organismo.como um todo e inclusive desempenho sexual caso este esteja prejudocado. Já o estimulante sexual é medicação ou outra intervenção realizada quando o problema é a dificuldade em se consigo seguir ou manter uma ereção pensava adequada para a realização do ato sexual.

Categorias Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close